DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Autores

  • Evandro Ferigato , Centro Universitário Campo Limpo Paulista – Unifaccamp na Graduação e Pós-Graduação – Brasil
  • Alessandro Marco Rosini Universidade Anhanguera, São Paulo Univag/MT Faculdade Flamingo/SP
  • Marcio Magera Conceição UNG/SP
  • Joelma Telesi Pacheco Conceição Professora da Faculdade de Paulí­nia na Pós-Graduação – Brasil.

Palavras-chave:

Gestão Ambiental, Auditoria Ambiental, Politicas Ambientais.

Resumo

Este artigo buscou mostrar fatos atuais do desrespeito ao desmatamento da Amazônia e ressalta a importância de se tomar atitudes enquanto ao tema, para que o futuro seja saudável para a vida no planeta. Foi realizado com base nos eventos recentes de degradação da Floresta Amazônica e a demonstração de falta de atenção ao tema e a preservação, constatadas pela falta de atitudes realmente relevantes em prol dessa causa. Para elaborar a pesquisa foram utilizadas pesquisas bibliográficas para respaldar o conteúdo de forma concreta. Foi possí­vel entender que o desmatamento na Amazônia mostra-se ser um dos grandes desafios que iremos enfrentar num futuro próximo. O futuro do bem estar do mundo necessita desse senso de responsabilidade ambiental que deve ser de todos, principalmente do governo que exerce maior poder no que diz respeito ao tema. O estudo mostrou o quanto é extremamente importante conter a ocupação e o desmatamento na amazônia, pois, mais do que o equilí­brio ambiental de um bioma, sua preservação contribui com o equilí­brio ambiental mundial

Biografia do Autor

Evandro Ferigato, , Centro Universitário Campo Limpo Paulista – Unifaccamp na Graduação e Pós-Graduação – Brasil

Professor Pesquisador

Alessandro Marco Rosini, Universidade Anhanguera, São Paulo Univag/MT Faculdade Flamingo/SP

Pós-Doutor em Administração de Empresas FEAUSP

Marcio Magera Conceição, UNG/SP

Professor Pesquisador

Joelma Telesi Pacheco Conceição, Professora da Faculdade de Paulí­nia na Pós-Graduação – Brasil.

Professora, Pesquisadora

Referências

A ESTIMATIVA DA TAXA DE DESMATAMENTO POR CORTE RASO PARA A AMAZÔNIA LEGAL EM 2019 É DE 9.762 KM². (2020), Disponí­vel em: <http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=5294> Acesso em Junho de 2020.

Alves, Diógenes Salas. (2001). O processo de desmatamento na Amazônia. Revista Parcerias estratégicas, 2001, v. X, n. 12.

Amazônica Brasileira por Satélite Projeto PRODES. Disponí­vel em: <http://www.dpi.inpe.br/prodesdigital/dadosn>.Acesso em: 30 jan. (2010).

Andreazza, Mário. (1972). Programas especiais na área dos transportes: obje-tivos e execução. Rio de Janeiro: Companhia Brasileira de Artes Gráficas.

Araújo, Ricardo Torri. (1999). O movimento boa nova. Belo Horizonte: O Lutador.

Becker, Berta K.; Miranda, Mariana; Machado, Lia O. (1990). Fronteira amazônica. Questões sobre a gestão do território. UnB: Brasí­lia.

BIOMAS: AMAZÔNIA. (2020). Disponí­vel em: < https://www.embrapa.br/web/rede-ilpf/bioma/amazonia#:~:text=O%20sistema%20de%20produ%C3%A7%C3%A3o%20predominante,fase%20de%20pousio%20da%20vegeta%C3%A7%C3%A3o.> Acesso em Junho de 2020.

Capobianco, João Paulo Ribeiro. (2009). As mudanças climáticas e as áreas protegidas na Amazônia. Clima em Revista, 11. ed., 2009.

CONSEQUÊNCIAS DO DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA. (2020). Disponí­vel em: < http://greenbond.com.br/6-consequencias-do-crescente-desmatamento-na-amazonia/> Acesso em Junho de 2020.

DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA: CAUSAS E COMO COMBATE-LO. (2020). Disponí­vel em:<https://www.ecycle.com.br/6743-desmatamento-da-amazonia.html#:~:text=Entre%20as%20principais%20causas%20do,a%20retomada%20de%20grandes%20obras.> Acesso em Junho de 2020.

DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA: DESAFIOS PARA REDUZIR AS EMISSÕES BRASILEIRAS. (2020). Disponí­vel em: < http://www.fbds.org.br/cop15/FBDS_DesmatamentoAmazonia.pdf> Acesso em Junho de 2020.

DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA: Desafios para reduzir as emissões brasileiras. (2020). Disponí­vel em: <http://www.fbds.org.br/cop15/FBDS_DesmatamentoAmazonia.pdf> Acesso em Junho de 2020.

EMBRAPA - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. (2004). Tecnologias da Produção de Soja na região central do Brasil. 2004. [On line]. Embrapa, <http://www.cnpso.embrapa.br/producaosoja/SojanoBrasil.htm>. [10 de agosto de 2009].

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUíRIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Brasí­lia: Embrapa> Disponí­vel em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

ECYCLE. (2017). Disponí­vel em: <https://www.ecycle.com.br/component/content/article/63/3010-sustentabilidade-origens-historicas-para-a-criacao-do-conceito-homem-natureza- desenvolvimento-revolucao-industrial-eletricidade-homem-sociedade-humano-consequenciasa-ambientais-debates.html>Acesso em 20 de agosto de 2017.

FEDERAÇíO BRASILEIRA DE BANCOS (FEBRABAN). (2016). Green bonds, São Paulo, 2015. Disponí­vel em: <http://mediadrawer.gvces.com.br/publicacoes/original/2_febraban_portugues_gb.pdf>. Acesso em: 18 set. 2016.

FBDS- Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável. (2016). Desmatamento na Amazônia: Desafios para reduzir as emissões brasileiras. Disponí­vel em: http://www.fbds.org.br/cop15/FBDS_DesmatamentoAmazonia.pdf. Acesso em: 05/06/2016

Fearnside, P. M. (2003). A floresta amazônica nas mudanças globais. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Manaus, 2003.

Ferreira, Leandro Valle; Venticinque, Eduardo; Almeida, Samuel. O desmatamento na Amazônia e a importância das áreas protegidas. Disponí­vel em: <http://www.scielo.br/scielo.

Gabriela Biló/Estadão (2020). Dez dias na Amazonia : retratos de uma floresta em chamas. https://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias > Acesso em Junho de 2020.

Gabriela Biló/Estadão(2020). https://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias > Acesso em Junho de 2020.

Geenbond (2020) http://greenbond.com.br/6-consequencias-do-crescente-desmatamento-na-amazonia/> Acesso em Junho de 2020.

Hall, Anthony L. Amazônia. (1991). Desenvolvimento para quem? Desmatamento e conflito social no Programa Grande Carajás. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1991.

Huertas, Daniel M. (2009). Da fachada atlântica í imensidão amazônica: fronteira agrí­cola e integração territorial. São Paulo: Annablume, 2009.

INPE. (2020). Projeto PRODES - Projeto de Estimativa de Desflorestamento da Amazônia. Taxas anuais do Desmatamento – 1988 até 2016, 2016. Disponí­vel em: http://www.obt.inpe.br/prodes/prodes_1988_2016n.htm. Acesso em: 15 jan. 2018.

Tabela 1. Disponí­vel:< http://www.inpe.br/noticias/noticia. php?Cod_Noticia=5138> Acesso em Junho de 2020.

Tabela 2. Disponí­vel:< http://www.inpe.br/noticias/noticia. php?Cod_Noticia=5294 > Acesso em Junho de 2020.

IMAGEM 1. Disponí­vel:< http://greenbond.com.br/6-consequencias-do-crescente-desmatamento-na-amazonia/> Acesso em Junho de 2020.

IMAGEM 2. Disponí­vel:< ttps://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,dez-dias-na-amazonia-retratos-de-uma-floresta-em-chamas,70002991505> Acesso em Junho de 2020.

IMAGEM 3. Disponí­vel: https://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,dez-dias-na-amazonia-retratos-de-uma-floresta-em-chamas,70002991505> Acesso em Junho de 2020.

INPE. (2020). CONSOLIDA 7.536 KM² DE DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA EM 2018. Disponí­vel em: < http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=5138> Acesso em Junho de 2020.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. (2004). Monitoramento da cobertura florestal da Amazônia brasileira por satélites: 2008-2009. São José dos Campos, Inpe.

Ministério do Meio Ambiente (MMA). Plano de ação para a preven-ção e controle do desmatamento na Amazônia legal. Brasí­lia, 2004.

Moutinho P., M. C. Cenamo & P.F. Moreira. (2009)a. Reducing carbon emission by slowing deforestation: REDD initiatives in Brazil. In Avoided Deforestation: prospects for mitigating climate change. Palmer & Engel (eds). Swiss Federal Instituto of Technology. SERIES: Routledge Explorations in EnvironmentalEconomics

Moutinho, P., M. Santilli, S. Schwartzman, and L. Rodrigues. (2005). Why ignore tropical deforestation? A proposal for including forest conservation in the Kyoto Protocol. Unasyvla 222 (56): 27-30.Moutinho P. 2007. O papel da sociedade civil diante do desafio da mudança climática global: o exemplo do Observatório do clima. In Quanto mais quente melhor? Desafiando a sociedade civil a entender as mudanças climáticas. C. Klink (Ed). Editora Peirópolis.

Seluchinesk, Rosane Duarte Rosa. (2008). De heróis a vilões: ima-gem e auto-imagem dos colonos da Amazônia mato-grossense. Brasí­lia: UnB.

Soares-Filho, Britaldo Silveira et al. (2010). Cenários de desmatamento para a Amazônia.

Disponí­vel em: <http://www.scielo.br/scielo. php?pid=S0103-40142005000200008&script=sci_arttext>. Acesso em: 30 jan. 2010.

Publicado

2021-06-03

Como Citar

FERIGATO, E.; ROSINI, A. M.; CONCEIÇÃO, M. M.; CONCEIÇÃO, J. T. P. DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA BRASILEIRA. Revista Metropolitana de Sustentabilidade (ISSN 2318-3233), São Paulo, v. 11, n. 1, 2021. Disponível em: https://revistaseletronicas.fmu.br/index.php/rms/article/view/2344. Acesso em: 27 set. 2022.