CÓDIGOS DE ÉTICA DAS EMPRESAS DE TECNOLOGIA

Autores

  • Roseli Aparecida Cifarelli Grant Thornton Consulting Service
  • Celso Machado Júnior Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo
  • Yuri Tobias Furlaneto Machado Universidade Paulista

Palavras-chave:

Governança Corporativa, Gestão Ética, Compliance Based, Value Based.

Resumo

No Brasil, o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa propõe que além do respeito í s leis do paí­s, que toda organização possua um Código de Conduta que comprometa os administradores e empregados com suas responsabilidades. Neste contexto, o objetivo é analisar se as empresas de tecnologia possuem uma base comum de conteúdo nos códigos de ética e conduta que consolide uma diretriz para o segmento. Apoia-se na análise de documentos de quatro empresas do setor de tecnologia atuantes no Brasil. Evidenciou-se que as empresas de tecnologia buscam elementos concomitantes com a ética e a governança corporativa, ao abordar a transparência, a equidade, a correta prestação de contas, no ambiente corporativo. Os resultados indicam que as empresas de tecnologia apresentam um conjunto de diretrizes comuns em seus códigos de ética e conduta, no entanto com particularidades intrí­nsecas de cada empresa, estabelecendo um conjunto mí­nimo de diretrizes para o segmento. 

Biografia do Autor

Celso Machado Júnior, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo

Doutor  em Administração pela Universidade Nove de Julho UNINOVE, Mestre  em Educação, Administração e Comunicação pela Universidade São Marcos, graduado em Engenharia Mecânica pela Universidade de Mogi das Cruzes. Professor pesquisador do programa de mestrado profissional em Governança Corporativa da FMU

Referências

Arruda, M. C. C. (2002). Código de Ética, um instrumento que adiciona valor. São Paulo: Negocio.

Arruda, M. C. C., & Navran, F. (2000). Indicadores de Clima Ético nas Empresas. Revista de Administração de Empresas, 40(3), 26-35.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo, Lisboa: Edições 70.

Lei 12.846. (2013). Dispõe sobre a responsabilização administrativa e civil de pessoas jurí­dicas pela prática de atos contra a administração pública, nacional ou estrangeira, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasí­lia, Recuperado de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12846.htm. Acesso em: 27 maio 2017.

Calderon, R., Ignacio, F., & Rendin, D. M. (2012). Ethical codes and corporate responsibility of the most admired companies of the world: toward a third-generation ethics? Business and Politics, 14(4), 1-24.

Duska, R. (2015). One Hundred Years Ago: Solomon Huebner and Ethics in the Financial Services Profession. Journal of Financial Service Professionals, 69(3), 25-28.

Ethics & Compliance Initiative Glossary – ECI Initiative Glossary. (2016). Recuperado de: http://www.ethics.org/eci/research/free-toolkit/toolkit-glossary. Acesso em: 4 maio 2017.

Lei Sarbanne Oxley Act. Public Law (2002). Recuperado de: https://www.sec.gov/about/laws/soa2002. Acesso em: 8 maio 2017.

Freitas, L. M. S., Whitaker, M. C., & Sacchi, M. G. (2006). Ética e Internet: uma contribuição para as empresas. Curitiba: DVS.

Guillyer, A. W. (2015). Ética nos Negócios. 4a ed. Porto Alegre: AMGH.

Helin, S., & Sandstrom J. (2007). An inquiry into the study of corporate Codes of Ethics. Journal of Business Ethics, 75(3), 253-271.

Humberg, M. E. (2014). Programas e Códigos de Ética e Conduta. Vale a pena implantar? Um plano para quem vai organizar. São Paulo: CLA.

Institute of Business Ethics-Ibe. Ethical values and codes. Recuperado de: http://www.ibe.org.uk/ethical-values-and-codes/102/52. Acesso em: 18 maio 2017.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (2014). Caderno de Boas Práticas de Governança Corporativa para Empresas de Capital Fechado. São Paulo: IBGC.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (2015). Origens da Governança Corporativa. Recuperado de: http://www.ibgc.org.br/inter.php?id=18166. Acesso em: 14 set. 2016.

Instituto Ethos (2000). Formulação e Implantação de Código de Ética em Empresas – Reflexões e Sugestões. São Paulo: Ethos.

Instituto Ethos (2015). Indicadores Ethos para negócios sustentáveis e responsáveis – Guia temático integridade, prevenção e combate í corrupção. São Paulo: Ethos.

King Report I. King Report on Corporate Governance. Institute of Directors in Southern Africa (1994). Recuperado de: http://www.iodsa.co.za. Acesso em: 22 maio 2017.

King Report III King Codes of Governance Principles for South Africa 2009. Recuperado de: http://www.iodsa.co.za. Acesso em: 22 maio 2017.

Lurie, Y., & Mark, S. (2016). Professional Ethics of Software Engineers: An Ethical Framework. Science and engineering ethics, 22(2), 417-434.

Mccabe, D., Trevino, L. K., & Butterfiled, K. D. (1993). The Influence of collegiate and Corporate Codes of Conduct on ethics related behavior in workplace. Business Ethics Quarterly, 3(1), 27-43.

Miller, W. (2004). Implementing an Organizational Code of Ethics. International Business Ethics Review, 7(1), 6-10.

Paine, L. S. (2003), Value Shift: why companies must merge social and financial imperatives to achive superior performance. São Paulo: MacGraw-Hill.

Silveira, A. D,iMiceli. (2010). Governança corporativa no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Silveira, A. Dimiceli & Saito, R. (2008). Governança corporativa: Custo de Agencia e Estrutura de Propriedade. Revista de Administração de Empresa, 48(2), 79-81.

Soltani, B., & Maupetit, C. (2015). Importance of core values of ethics, integrity and accountability in the European corporate governance codes. Journal of Management & Governance, 19(2), 259- 267.

Sthol, C., Sthol, M., & Popova, L. (2009). A new generation of corporate codes of ethics. Journal of Business Ethics, 90(4), 607-622.

Witaker, M. C. et al. (2007), Ética nas empresas: depoimentos e experiências. São Paulo: DSV.

Downloads

Publicado

2024-06-19

Como Citar

CIFARELLI, R. A.; MACHADO JÚNIOR, C.; MACHADO, Y. T. F. CÓDIGOS DE ÉTICA DAS EMPRESAS DE TECNOLOGIA. Revista Metropolitana de Governança Corporativa (ISSN 2447-8024), [S. l.], v. 6, n. 2, 2024. Disponível em: https://revistaseletronicas.fmu.br/index.php/RMGC/article/view/2509. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS