A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES NA CIDADE DE LAVRAS, MINAS GERAIS, BRASIL. PERSPECTIVAS DE CONFORTO TÉRMICO-VISUAL E PERTENCIMENTO AFETIVO URBANO.

Amanda Burgarelli Teixeira, Mateus de Carvalho Martins

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi estudar a área central de Lavras, em Minas Gerais, fazendo comparações a respeito dos níveis de conforto térmico encontrados na Rua Francisco Sales. Por meio de análises e comparações entre localidades da rua em questão, foram levantados os índices de conforto térmico urbano que posteriormente foram aplicados a equações específicas para esse tipo de estudo. Pesquisas acerca do urbanismo, das legislações que o norteiam e de como o mesmo se manifesta no Brasil, especificamente em Lavras, e estudos sobre o conceito de conforto térmico e seus benefícios são igualmente objetos de estudo. Após estudar a área e as questões que a norteiam, percebeu-se a necessidade de planejamento urbano, abrangendo não somente as novas áreas da cidade, mas também incluindo as antigas no processo de readequação dos espaços, bem como o estudo mais aprofundado da legislação urbana, visto que a mesma atua diretamente no conforto térmico urbano e, consequentemente, na qualidade de vida da população. Além disso, esse trabalho destaca as árvores urbanas como importantes elementos paisagístico-artísticos e sustentáveis, gerando relações afetivas com a população.


Palavras-chave


conforto térmico; gestão urbana; áreas verdes; visual urbano

Texto completo:

PDF

Referências


BIONDI, D. Paisagismo. Recife. Ed. da UFRPE, 1990.

BRASIL. Lei complementar nº 097, de 17 de abril de 2007. Institui o Plano Diretor do Município de Lavras. Lavras, MG, 2007. Disponível em: . Acesso em: 30 abril 2016

______. Lei nº 3.640, de 19 de abril de 2010. Disciplina o paisagismo e a arborização urbana no município de lavras e dá outras providências. Lavras, MG, 2010. Disponível em: . Acesso em: 30 abril 2016

______. Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Estatuto da cidade e Legislação Correlata. – 2ª Ed., atual. - Brasília: Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 2002. 80 p. Disponível em: . Acesso em: 30 abril 2016

BUSTOS ROMERO, Marta Adriana. A arquitetura bioclimática do espaço público. (3ª reimpressão). Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2007 .226 p.: il. – (Arquitetura e Urbanismo)

CORBELLA, Oscar; CORNER, Viviane. Manual de arquitetura bioclimática tropical. Rio de Janeiro: Revan, 2011.

DUARTE, C R.; COHEN, R.; SANTANA, E.; BRASILEIRO, A.; PAULA, K.; UGLIONE, P. Explorando as ambiências: Dimensões e possibilidades metodológicas na pesquisa em Arquitetura. Colloque International Faire une ambience. Grenoble, 2008. In: Anais... Grenoble, 2008, cd-room. (Versão ampliada em português, disponível em:www.asc.fau.ufrj.br)

FARAH, Ivete. Poética das Árvores Urbanas. Rio de Janeiro: Ed. Mauad, 2008.

GOMES, Marcos A S.; AMORIM, Margarete C C T. Arborização e conforto térmico no espaço urbano: Estudo de Caso nas Praças Públicas de Presidente Prudente –SP. Caminhos da geografia (Online) São Paulo, 7 (10) p. 94-106, setembro 2003.Disponível em:. Acesso em: 08 abril 2018.

JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades; tradução Carlos S. Mendes Rosa; revisão da tradução Maria Estela Heider Cavalheiro; revisão técnica Cheila Aparecida Gomes Bailão. 3ª Ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. – (Coleção cidades)

LUZ, Iracema Clara Alves. Evolução histórico-cultural e paisagística da Praça Dr. José Esteves e entorno em Lavras - MG. 2015. 114 p. Dissertação (Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia) Universidade Federal de Lavras – UFLA, Lavras, 2015.

MARICATO, Erminia. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. 7. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

MASCARÓ, Juan Luis. Infraestrutura da paisagem. Porto Alegre – RS: Masquatro Editora, 2008, 194 páginas, il.

MASCARÓ, Lúcia. MASCARÓ, Juan José. Ambiência urbana – Urbanenvironment. 3ª Ed. Porto Alegre: Masquatro Editora, 2009, 200 p., Edição Bilingue: Português/Inglês.

MASCARÓ, Lúcia. MASCARÓ, Juan José. Vegetação Urbana. 3ª Ed. Porto Alegre: Masquatro Editora, 2010, 212 p.: il.

NORBERG-SCHULZ, Christian. Towards a Phenomenology of Architecture. Nova York: Rizzoli International Publications, 1980.

SANSOT, Pierre. L’affection paysagere. In: ROGER, Alain (dir). La Théorie Du Paysage en France (1974-1994). Seyssel : Editions Champ Vallon, 1995. p.153-167.

SAYDELLES, Alexandre Pistoia. Estudo do campo térmico e das ilhas de calor urbano em Santa Maria – RS. 2005. 219 f. Dissertação (Mestrado em Geografia e Geociências) – Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul. Disponível em: . Acesso em: 05 junho 2016

SCHMID, Aloísio Leoni. A ideia de conforto: Reflexões sobre o ambiente construído. Curitiba: Pacto Ambiental, 2005. 338 p.: il.; 23cm.

SILVA, A. T. Evolução Histórico-Cultural e Paisagística das Praças Dr. Augusto Silva e Leonardo Venerando. Lavras, MG. 2006. 238p. Tese (Doutorado), Universidade Federal de Lavras/UFLA.

TORRES, Geovani Németh. Cartão postal de Lavras [1978,03] Vista parcial de Lavras. Disponível em: < http://historiadelavras.blogspot.com.br/2016/02/cartao-postal-de-lavras-1978-03-vista.html>. Acesso em 09 junho 2016

VAN LENGEN, Johan. Manual do arquiteto descalço. São Paulo: B4 Ed., 2014. 736 p.:il.; 23 cm.


Apontamentos





Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015