APRENDIZAGEM PARA A SUSTENTABILIDADE: O CASO DA UNIVERSIDADE CORPORATIVA CAIXA

Rosária Maria Ferreira da Silva, Eliane Salete Filippim, Darlan José Roman

Resumo


Diante de um contexto com demandas contínuas por programas e ações sustentáveis, a educação assume lugar estratégico em qualquer política que vise à sustentabilidade. Esta temática foi analisada neste estudo, observando-se as possibilidades e desafios do uso da educação corporativa no planejamento e realização de eventos de aprendizagem voltados à educação para a sustentabilidade, com foco numa organização pública. Para efetivar a pesquisa, de cunho qualitativo, delimitou-se o estudo para a região da Superintendência da Caixa no Oeste de Santa Catarina, Brasil. Definiu-se como objetivo geral da pesquisa analisar a percepção dos empregados da Caixa sobre o tema sustentabilidade. Como procedimento metodológico, realizou-se estudo de caso único, de abordagem qualitativa, na Universidade CAIXA, com foco na Superintendência Oeste de Santa Catarina, tratando, sobretudo com dados gerados pela captura da percepção de empregados da CAIXA, usuários da Universidade Corporativa. Os dados foram obtidos por meio de múltiplas fontes: revisão bibliográfica, entrevistas, aplicação de questionário, análise de documentos e observação direta. Os resultados permitiram observar que a CAIXA tem na UC uma ferramenta para favorecer a formação de seus empregados. Sobre a percepção entorno da questão da sustentabilidade, os sujeitos de pesquisa demonstraram conhecer as diversas dimensões da sustentabilidade e suas inter-relações. Por outro lado também se apurou que este conceito mais integrativo não está completamente disseminado. 


Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALPERSTEDT, C. Universidades corporativas: discussão e proposta de uma definição. Revista de Administração Contemporânea. Rio de Janeiro, v. 5, n. 3, p. 149-166, set./dez. 2001.

ANTONELLO, C. S. Aprendizagem na ação revisitada e sua relação com a noção de competência. Comportamento Organizacional e Gestão, v..12, n. 2, p. 199-220, 2006.

BARLEY, K. Corporate university structures that reflect organizational cultures. In: ALLEN, M (Org.). Corporate University Handbook: designing managing and growing a successful program. New York: Amacon, 2002.

BENFICA, G. Sustentabilidade e Educação. Revista da Faculdade Estadual de Educação da Bahia, 2008.

BOFF, L. Sustentabilidade: O que é - O que não é. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

BORGES, F. Q.; BORGES, F. Q. Desempenho institucional e a gestão da sustentabilidade: uma análise de indicadores na Aneel. Revista Economia & Gestão, v. 14, n. 35, p. 35-53, 2014.

BRUNSTEIN, J.; SCARTEZINI, V. N.; RODRIGUES, A. L. Sustentabilidade na educação corporativa e o desenvolvimento de competências societais. Organizações & Sociedade, v. 19, n. 63, p. 583-598, out/dez. 2012.

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Universidade corporativa Caixa. 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 ago. 2016.

CHANG, M. M.; GREEN, W. J.; KO, J. C. W. The Impact of strategic relevance and assurance of sustainability indicators on investors’ decisions. Auditing: a Journal of Practice and Theory, v. 34, n. 1, p. 131-162, 2015.

CONTE, A. C. C.; RAMOS, F.; JANUARIO, S. S. Universidade corporativa: uma nova “roupagem” para a área de treinamento de desenvolvimento?. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, v. 5, n. 1, p. 56-65, 2011.

CRUZ, D. Educação Corporativa: a proposta empresarial no discurso e na prática. Educação em Revista, v. 26, n. 02, p. 337-358, 2010.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. A disciplina e a pratica da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. (orgs). Planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2 ed. Porto Alegre: ARTMED, 2006.

DEWEY, J. Democracy and education. New York: Macmillan, 2000.

DIAS, R. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2008.

EBOLI, M. P. Educação corporativa no Brasil: mitos e verdades. São Paulo: Editora Gente, 2004.

ELKINGTON, J. Enter the triple bottom line, 2004. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2016.

FEINSTEIN, N. W.; KIRCHGASLER, K. L. Sustainability in science education? How the next generation science standards approach sustainability, and why it matters. Science Education, v. 99, n. 1, p. 121-144, 2015.

FERNANDES, P. V. Impacto ambiental: doutrina e jurisprudência. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2005.

FILIPPIM, E. S.; FEGER, J. E. Consensos e controvérsias no entendimento do desenvolvimento. In: FILIPPIM, E.S; ROSSETTO, A. M.. (Org.). Políticas públicas, federalismo e redes de articulação para o desenvolvimento. 1ed. Joaçaba: Editora da Unoesc, 2008, v. 01, p. 07-23.

GADOTTI, M. Educação para a sustentabilidade. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2008.

GORSHKOV, M. K.; KLIUCHAREV, G. A. The current state and prospects of corporate education. Russian Education and Society, v. 55, n. 9, p. 23.46, 2013.

JACOB, C. B.; SIMÃO FILHO, A. Educação corporativa para sustentabilidade. Revista de Direito Educacional, vol. 2, ano 1, jul/dez. 2010.

JACOBI, P. Educar para a sustentabilidade: complexidade, refletividade, desafios.

Revista Educação e Pesquisa- vol. 31/2- maio-agosto 2005, FEUSP.

LIMA, G. F. C. O discurso da sustentabilidade e suas implicações para a educação. Revista Ambiente & Sociedade, v. 6 n. 2 jul./dez. 2003.

LYTOVCHENKO, I. Origins and formation of corporate education in the USA. Corporate Professional Pedagogy, v. 5, n. 3, p. 53-57, 2015.

LIMA, J. P. C; ANTUNES, M. T. P.; NETO, O. R. M.; PELEIAS, I. R. Estudo de caso e sua aplicação: proposta de um esquema teórico para pesquisas no campo da contabilidade. Revista de Contabilidade e Organizações. v. 6. n. 14, p. 144-144, jun. abr. 2012.

KIM, D. H. O elo entre aprendizagem individual e aprendizagem organizacional. In: A gestão estratégica do capital intelectual. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1998.

MAIA, A. G.; PIRES, P. S. Uma compreensão da sustentabilidade por meio dos níveis de complexidade das decisões organizacionais. RAM – Revista de Administração Mackenzie. v. 12, n. 3, Edição Especial – São Paulo, SP. Maio/Jun. 2011.

MEISTER, C. J. Educação corporativa: a gestão do capital intelectual através das universidades corporativas. São Paulo: Makron Books, 1999.

MOSCARDINI, T. N.; KLEIN, A. Educação corporativa e desenvolvimento de lideranças em empresas multisite. Rev. adm. contemp. [online]. 2015, vol.19, n.1, pp. 84-106.

OLIVO, E.; ROMAN, V.; MAZZALI, L. A universidade corporativa como instrumento de sustentação do negócio: a experiência das empresas estatais. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, (sem indicação de volume e número), p. 75-84, 2010.

PRAHALAD, C.K; HAMEL, G. The core competence of the corporation. Harvard Business Review, p. 79-91, mai/jun, 1990.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI. In: BURSZTYN, M. Para pensar o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Brasiliense, p. 29-56, 1993.

SACHS, J. A riqueza de todos: a construção de uma economia sustentável em um planeta superpovoado, poluído e pobre. Tradução Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

SANDRI, A. M. L. A Utilização da informática na educação de adultos. 2002. Monografia (Curso de Especialização em Psicopedagogia), Universidade Tuiuti do Paraná. Curitiba.

SANTOS, J. A. A. D.; NASCIMENTO, R. P.; ANDRADE, R. O. B.; SANTOS, V. M. D. O papel de uma Universidade Corporativa para o desenvolvimento da aprendizagem organizacional: análise de uma empresa de serviços de saúde. Revista de Ciências da Administração, v. 14, n. 34, p. 91-102, 2012.

TANNURI, G.; BELLEN, H. M. V. Indicadores de desempenho ambiental evidenciados nos relatórios de sustentabilidade: uma análise à luz de atributos de qualidade. Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 8, n. 1, p. 2-19, 2014.

TRIVINOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VASCONCELOS, K. C. A.; SILVA JÚNIOR, A. Educar gerentes para sustentabilidade: os desafios de uma escola de negócios brasileira com atuação internacional. In: ENANPAD (Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós Graduação em Administração). Anais... Rio de Janeiro: 34 ENANPAD, 2010.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015