Governança corporativa no terceiro setor: estudo de caso da obra social Santa Rita de Cássia

Sandra Cristina Lolla, Elza de Fátima Rosa Veloso

Resumo


Esta pesquisa tem o objetivo de analisar como a Obra Social Santa Rita de Cassia está inserida no contexto da Governança Corporativa. Para essa finalidade utilizou-se como metodologia o estudo de caso que envolveu entrevista e um questionário respondido pela administradora do local, além da análise de documentos. Essa entidade é composta de cinco unidades localizadas na região da zona sul da cidade de São Paulo. A pesquisa é baseada nos estudos de Silveira (2015) e na fundamentação teórica do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (2015) e Rossetti; Andrade (2014), dentre outros que discorrem sobre a importância da Governança Corporativa. Já Tondolo et al. (2016), Tondolo (2014) e Pereira et al. (2013), entre outros, foram utilizados para fundamentação no terceiro setor. Várias são as atividades da obra social estudada, que incluem atendimentos a crianças de 6 meses até pessoas com dependências químicas. Os resultados do estudo nos indicam que a Obra Social Santa Rita de Cássia possui governança corporativa, em se tratando da prestação de contas e no quesito de transparência, atendendo a todos os princípios de governança corporativa, conforme define Silveira (2015).


Palavras-chave


Governança Corporativa; Terceiro setor; Princípios de governança.

Texto completo:

PDF

Referências


BOSE, M. Gestão de pessoas no terceiro setor. 2004. 207 f. Dissertação (Mestrado em Economia, administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

CADBURY COMMITTEE. Report of the committee on the financial aspects of corporate governance. London, 1992. Disponível em: . Acesso em: 15 de nov. 2017.

FONTES, M. Marketing Social Revisado: novos paradigmas do mercado social. Florianópolis: Cidade Futura, 2001.

GAMBARDELLA, A. D. Avaliação de projetos em organizações do terceiro setor. Revista Pensamento & Realidade, v. 29, n. 2, p. 120-137, 2014.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

GIL, A. C. Estudo de caso. São Paulo: Atlas, 2009.

HECKERT, C. R. Qualidade de serviços em organizações do terceiro setor. 150 f. 2001. Dissertação (Mestrado em Engenharia). Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA - IBGC. Código das Melhores Práticas da Governança Corporativa. 4ª edição, São Paulo: IBGC, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA - IBGC. Código das Melhores Práticas da Governança Corporativa. 5ª edição, São Paulo: IBGC, 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. As Fundações Privadas e Associações sem fins lucrativos no Brasil. 20. ed. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: . Acesso em: 19 dez. 2017.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo, Atlas, 2017

NOSE, E. T.; SANTAELLA JUNIOR, N. J.; ARGENTINO, L. G.; SOUSA, J. L. M.; ROSINI, A. Comunicação no processo de implantação da governança corporativa nas empresas. Revista Metropolitana de Governança Corporativa, v. 2, n.1, p. 03-18, 2017.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - OCDE. Principles of Corporate Governance. Meeting of the OECD Council at Ministerial Level, 1999. Disponível em: http: . Acesso em: 15 nov. 2017.

OLIVEIRA, J. H. R. M.A.I.S.: Método para avaliação de indicadores de sustentabilidade organizacional. 2002. 217 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção). Universidade Federal de Santa Catarina - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis 2002.

OSBORNE, S. P. Managing in the voluntary sector. London: International Thomson Business Press, 1996.

PEREIRA, R. S.; MORAES, F. C. C.; MATTOS JÚNIOR, A. B.; PALMISANO, A. Especificidades da gestão no terceiro setor. Organizações em contexto. v. 9, n. 18, p. 167-195, 2013.

PIMENTA, S. M.; BRASIL, E. R . Gestores e competências organizacionais no terceiro setor em Itabira – MG. Gestão & Regionalidade, v.22, n. 64, p. 78-89, 2006.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnica. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2017.

ROSSETTI, J. P.; ANDRADE, A. Governança Corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 7. ed. São Paulo: Atlas. 2014.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e Meio Ambiente. São Paulo: Studio Nobel, 1993.

SILVEIRA, A. M. Governança corporativa no Brasil e no mundo: teoria e prática. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

SOUSA, E. G.; VALADÃO JR, V. M. Redes organizacionais: perspectivas para sustentabilidade de uma ONG. Revista de administração da UNIMEP, v. 8, n. 1, p.84-104, 2010.

TEODÓSIO, A. S. S. Pensar pelo avesso o Terceiro Setor: Mitos, Dilemas e Perspectivas da Ação Social Organizada no Brasil. In: STENGEL, M. et al. (Org.) Políticas públicas de apoio sociofamiliar – curso de capacitação de conselheiros municipais e tutelares. Belo Horizonte, PUC Minas, 2001.

TONDOLO, R. R. P. Desenvolvimento de Capital Social Organizacional em um Projeto Interorganizacional no Terceiro Setor. 2014. 157 f. Tese (Doutorado em Administração). Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS. 2014.

TONDOLO, R. R. P.; TONDOLO, V. A. G.; CAMARGO, M. E.; SARQUIS, A. B. Transparência no Terceiro Setor: uma proposta de construto e mensuração. Espacios Públicos, v. 19, n. 47, p. 7-25, 2016.

VARGAS, S. I. Governança nas entidades do terceiro setor: uma análise dos princípios de boa governança definidos pelo IBGC nas ONGs associadas à ABONG, sediadas nas regiões sul e sudeste do brasil. 2008. 131 f. Tese (Doutorado em Administração) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

ZARIFIAN, P. Valor, organização e competência na produção de serviço (esboço de um modelo de produção de serviço). In: SEMINÁRIO TEMÁTICO INTERDISCIPLINAR. OS ESTUDOS DO TRABALHO. I999, São Paulo. Anais ... São Paulo, 1999.

YIN, R. K. Estudo de caso – planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexadores: