SUSTENTABILIDADE APLICADA A SERVIÇOS DE VAREJO: UM ESTUDO EMPÍRICO EM UM SHOPPING CENTER DE SÃO PAULO

Marcos Antonio Franklin, Soraia Pinheiro Ribeiro, Carolina Zi Wen Gu, Giovani Palmejan Leardini, Bruno de Souza Campos, Giovana de Paschoa Gimenez, Sidnei Augusto Mascarenhas

Resumo


Com esta pesquisa pretendeu-se compreender como são as práticas de sustentabilidade em um ambiente de serviços de varejo, e para isso, a pesquisa foi realizada em um shopping center na cidade de São Paulo. Assim, elaborou-se o problema de pesquisa: Quais as práticas da sustentabilidade aplicada aos serviços de varejo em um shopping center? A pesquisa foi de natureza exploratória segundo Cervo e Bervian (2004). O método utilizado foi o qualitativo proposto por Merriam (2002). Para realizar a coleta dos dados, foram aplicadas sete entrevistas, com roteiros semiestruturados (MANZINI, 1990/1991), baseado no referencial teórico. Os resultados mostraram que o Shopping Center Eldorado apresenta práticas sustentáveis sob os pontos de vista ambiental, econômico e social.


Palavras-chave


Sustentabilidade; Serviços; Varejo; Shopping center.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ABRASCE – Associação Brasileira de Shopping Center. (2015). Disponível: . Acesso em: 10 abril 2015.

. Acesso em: 17 agosto.

. Acesso em: 17 agosto 2015.

ALBRECHT, K. (2002). Revolução nos serviços: como as empresas podem revolucionar a maneira de tratar os seus clientes. São Paulo: Pioneira.

AMBROZINI, M. A.; NOLETO, C. P.; SILVA, A. L. C. (2010). Estudo de caso: sustentabilidade do Banco Real. Nucleus, v.7, n.1, abr.

BARBIERI, J. C.; CAJAZEIRA, J. E. R. (2009). Responsabilidade social empresarial e empresa sustentável: da teoria à prática. São Paulo: Saraiva.

BATESON, J. EG.; HOFFMAN, K. D. (2003). Marketing de serviços. 4ª. ed. Porto Alegre: Bookman.

BELLEN, H. M. V. (2002). Indicadores de Desenvolvimento Sustentável: um levantamento dos princípios sistemas de avaliação. In: EnANPAD 2002. Salvador – BA: Anais dos Resumos dos Trabalhos. CD-Rom.

BELLEN, H. M. V. (2004). Indicadores de sustentabilidade: um levantamento dos principais sistemas de avaliação. Caderno EBAPE-BR, v.3, mar.

CASTELLO, C.E.; FONTENELLE, A.P.; FONSECA, E.M.; PIMENTEL, M.O. (2015). BNDES -Setor de shopping center no Brasil: evolução recente e perspectivas. Disponível em: . Acesso em: 28 abril.

CERVO, A.L.; BERVIAN, P.A. (2004). Metodologia científica. 5 ª. ed. São Paulo: Pearson.

CLARO, P. B. O.; CLARO, D. P.; AMÂNCIO, R. (2008). Entendendo o conceito de sustentabilidade nas organizações. Revista de Administração. v. 43, n.4, p. 289-291, out./nov./dez.

DOAK, J. (2009). An inspector calls: Looking at retail development through a sustainability lens. Journal of Retail & Leisure Property. v. 8, n.4, p. 299–309.

ELKINGTON, J. (1994). Towards the sustainable corporation: Win-win-win business strategies for sustainable development. Califórnia Management Review. v. 36, n.2, p. 90-98.

ELKINGTON, J. (1999). Triple bottom-line reporting: Looking for balance. Australian CPA, Mar. v. 69, n. 2. p. 19-21.

ELKINGTON, J. (2012). Sustentabilidade: canibais com garfo e faca. São Paulo: M. Books do Brasil.

FLORES, J.G. (1994). Aproximación interpretativa al contenido de la información textual. In: FLORES, J.G. Análisis de datos cualitativos - aplicaciones a la investigación educativa.

Barcelona: PPU.

GAZIULUSOY, A. I. (2010). System innovation for sustainability: a scenario method and a workshop process for product development teams. Auckland.

GRAHAM, G. (2009). Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: Bookman.

GRÖNROOS, C. (2004). Marketing: gerenciamento e serviços. Rio de Janeiro: Elsevier.

JABBOUR, A.B.L.S.; JABBOUR, C.J.C. (2009). Are suppliers selection criteria going green? Case studies of companies in Brazil. Industrial Management & Data Systems, v.109, n.3.

LAS CASAS, A. L. (2000). Marketing de varejo. 2ª. ed. São Paulo: Atlas.

LEVY, M.; WEITZ, B. (1995). Retailing management. 2ª. ed. Chicago, USA: Inwin.

LEVY, M.; WEITZ, B. A. (2000). Administração de varejo. 3ª. ed. São Paulo: Atlas.

LEWISON, D. M. (1994). Retailing, 5ª. ed. New York, USA: Macmillan College.

MANZINI, E. J. (1990/1991). A entrevista na pesquisa social. São Paulo: Didática, v. 26/27.

MATTAR, F. N. (2011). Administração de varejo. Rio de Janeiro: Elsevier.

McCLOUD, J. (1990). Malls respond to cry for increased service. Shopping Center World. Management Concerns. Nov.

MEIRELLES, D. S. E. (2006). O conceito de serviço. Revista de Economia Política, v. 26, n.1 (101), janeiro-março.

MERRIAM, S. B. (2002). Qualitative research in practice: examples for discussion and analysis. 1.ed. Jossey-Bass.

NORMANN, R. (1993). Administração de serviços: estratégia e liderança na empresa de serviços: tradução Ailton Bomfim Brandão. São Paulo: Atlas.

NOVAES, A. G. (2007). Logística e gerenciamento da cadeia de distribuição. Rio de Janeiro: Elsevier.

PARENTE, J. (2000). Varejo no Brasil: gestão e estratégia. São Paulo: Atlas.

RACHMAN, D. J. (1973). Varejo: estratégia e estrutura – uma abordagem gerencial. São Paulo: Atlas.

SAVITZ, A. W.; WEBER, K. (2007). A empresa sustentável: o verdadeiro sucesso e o lucro com responsabilidade social e ambiental. Rio de Janeiro: Campus.

SHERMAN, W. R., J.D., L.L.M., C.P.A. (2012). The triple bottom line: The Reporting Of "Doing Well" & "Doing Good". Journal of Applied Business Research. Jul/Aug, v. 28, n.4, p. 673-679.

SHOPPING ELDORADO (2015). . Disponível em ; ; Acesso em: 5 de maio.

TÔSTO, S.G. (2010). Sustentabilidade e valoração de serviços ecossistêmicos no espaço rural do município de Araras, SP. Tese de Doutorado. Instituto de Economia, UNICAMP, Campinas.

VEIGA, J. E. (2010). Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond.

YIN, R. K. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed.. Porto Alegre: Bookman.

ZYLBERSZTAJN, D.; LINS, C. (2010). Sustentabilidade e geração de valor: A transição para o século XXI. Rio de Janeiro: Elsevier.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015