Validação de uma ferramenta estatística para mensurar a influência da responsabilidade social corporativa na lealdade e satisfação dos consumidores de operadoras de saúde da cidade de São Paulo

Diego Rafael, Evandro Luiz Lopes

Resumo


Cada vez mais o tema Responsabilidade Social Corporativa (RSC) é introduzido nas organizações e em toda a sociedade. Este trabalho valida a ferramenta estatística de escala que mede a influência da RSC na lealdade e satisfação percebida pelos consumidores de operadoras de saúde da cidade de São Paulo. Por meio de um survey com 123 respondentes, testou-se a relação entre a composição multidimensional da RSC e a lealdade (R2 = 0,243) e a satisfação (R2 = 0,225) declarada dos consumidores de operadoras de saúde. O estudo concluiu que o entendimento dos consumidores é que as operadoras de saúde de sucesso precisam se preocupar com as questões sociais, não focando exclusivamente a rentabilidade, mas tomando para si a RSC.

Palavras-chave


Ferramenta estatística; Responsabilidade Social Corporativa, Satisfação; Lealdade; Operadoras de Planos de Assistência à Saúde.

Texto completo:

HTML PDF

Referências


Aupperle, K. E., Hatfield, J. D., & Carroll, A. B. (1983) Instrument Development and Application in Corporate Social Responsibility. Academy of Management Proceedings, 369373.

BAZARAA, M. S., & SHETTY, C. M. (1976). Foundations of optimization. Berlin: SpringerVerlag.

Bowen, H. R. (1953). Social responsibilities of the businessman. New York: Harper & Row.

Carrigan, M., & Attalla, A. (2001). The myth of the ethical consumer do ethics matter in purchase behavior? Journal of Consumer Marketing, 18(7), 560-577.

Carroll, A. B. (1979). A Three Dimensional Model of Corporate Performance. Academy of Management Review, 4, 497-505.

Carroll, A. B. (1999). Corporate Social Responsibility: Evolution of a Definitional Construct.

Business and Society, 38(3), 268-295.

Carroll, A. B. (1983). Corporate Social Responsibility: Vital Speeches of the Day, 49(19), 604632.

Carroll, A. B. (1991). The Pyramid of Corporate Social Responsibility: Toward the Moral Management of Organizational Stakeholders. Business Horizons, 39-48.

Chin, W. W., & Newsted, P. R. (1999). Structural Equation Modelling Analysis With Small Samples Using Partial Least Squares. In: R. H. Hoyle (Ed.), Statistical strategies for small sample research (307–341). Thousand Oaks, CA: Sage.

Garcia E., & Lopes E. L. (2013, setembro). Responsabilidade Social Corporativa na Visão do Consumidor: Proposição e Validação de uma Escala de Mensuração. XXXVII Encontro da ANPAD, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 37.

Gonçalves Filho, C., Brito, H., Gosling, M., & Souki, G.Q. (2009). Internexus - Revista Contemporânea de Economia e Gestão. 7(1), 37-54.

Lavie, D., Stettner, U., & Tushman, M. (2010). Exploration and Exploitation Within and Across Organizations. The Academy of Management Annals, 4 (1), 109-105.

Mom, T. J. M, Van Den Bosch, F. A. J, & Volberda, H. W. (2009). Understanding Variation in Managers’ Ambidexterity: Investigating Direct and Interaction Effects of Formal Structural and personal coordination mechanisms. Organization Science, 20 (4), 812-828.

Nelson R. (2006). Cultura Empresarial e Atendimento Superior: Gerenciando a Prestação de serviços no século 21. Sorocaba: Gráfica e Editora Cidade.

Schwartz, M.S., & Carroll, A.B. (2003). Corporate Social Responsibility: A Three-Domain Approach. Business Ethics Quarterly, 13(4), 503-530.

Serpa, D.A.F., & Fourneau, L. F. (2007). Responsabilidade Social Corporativa: Uma Investigação Sobre a Percepção do Consumidor. RAC, 11 (3), 83-103.

Sethi, S. P. (1975). Dimensions of Corporate Social Responsibility. California Management Review, 77(3), 58-64.

Walton, C.C. (1967). Corporate Social Responsibilities. California: Wadsworth Publishing Company.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Metropolitana de Sustentabilidade - ISSN  2318-3233


 

 Impact Factor 1,362 - year 2015

  

 Quality Factor 2,000 - year 2015