A INTERCEPTAÇÃO DAS ÁGUAS PLUVIAIS ATRAVÉS DA ARBORIZAÇÃO URBANA

Suelen Takano Silva, Rafael Felipe Morais Santos

Resumo


A urbanização aumenta diretamente a velocidade do escoamento superficial. E para amenizar esse processo através da presença de árvores no meio urbano, devemos primeiramente compreender como a arborização urbana pode influenciar no meio urbano. Assim, neste estudo promovemos análise da capacidade de interceptação dos três indivíduos arbóreos. A pesquisa ocorreu na Cidade de Caieiras, São Paulo durante o período do final de março a agosto de 2018. Este estudo pode demonstrar a interferência significativa, onde obtivemos uma precipitação média equivalente a 5,72mm, comparados diretamente cada árvore teve a precipitação interna média de 49,13% (Alchornea triplinervea), 32,17% (Peltophorum dubium) e 34,48% (Tabebuia heptaphylla), visando assim, os impactos positivos das árvores na interceptação das águas pluviais no ambiente urbano, exibindo que a arborização urbana pode viabilizar a redução do escoamento das águas pluviais mantendo a proteção do solo.


Palavras-chave


Interceptação; Escoamento pelo tronco; Águas pluviais; Arborização urbana.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, P. L.; FORMIGA, K. T. M.; TRALDI, M. A. B. Interferências de espécies arbóreas na interceptação das águas pluviais urbanas - impactos no tempo de concentração. REVSBAU, Piracicaba – SP, 2015.

ALVES, P.L. Capacidade de interceptação pelas árvores e suas Influências no escoamento superficial urbano. 2015. X,100 f:il. Disponível em: . Acessado: 10/01/18.

ANA, Agência Nacional de Águas - Brasil. Orientações para elaboração do relatório de instalação de estações hidrométricas / Agência Nacional de Águas; Superintendência de Gestão da Rede Hidrometeorológica. - Brasília: ANA, SGH, 2011.

CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. 1. ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2003. v. 1, 1039 p

CARVALHO, P. E. R. Espécies florestais brasileiras: recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Colombo: EMBRAPA – CNPF; Brasília: EMBRAPA – SPI, 1994. 640 p.

CASTRO, P. S. et. al. Interceptação da chuva por mata natural secundária na região de viçosa-MG. Revista Árvore, v.7, n.1, p.76-89, 1983.

ELLIS, J.B. Third generation urban surface water drainage: from rooftop to the receiving water subcatchment. In: Proc. 11th International Conference on Urban Drainage, Edinburgh, UK, August 2008.

FAZIO, J. R. How Trees Can Retain Stormwater Runoff. Tree City USA Bulletin, Nebraska City, NE. 2012.

GRAZIANO, T. T. Viveiros Municipais. Departamento de Horticultura – FCAVJ – UNESP. Notas de Aula, 1994.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, (2014). Cidade de Caieiras. Disponível em .

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro: IGBE/Ministério das Cidades/Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, 2010.

INMET. Instituto Nacional de Meteorologia - Brasil. Disponível em: .

Instalação de estações hidrométricas / Agência Nacional de Águas; Superintendência de

IVANCHECHEN, S.L. Estudo morfológico e terminológico do tronco e casca de 30 espécies arbóreas em floresta ombrófila mista. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1988. 221p. Dissertação Mestrado.

KAUFMANN, V; CASTRO N. M. R. Escoamentos Superficiais e de Drenagem em Solo com Diferentes Manejos e Intensidades de Chuvas Simuladas. RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos Volume 17 n.4 - Out/Dez 2012, 273-285.

LEWIS, G. P. Peltophorum. In: Lista de Espécies da Flora do Brasil. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2013.

LIVESLEY, S. J.; et. al. Rainfall interception and stemflow by eucalypt street trees - The impacts of canopy density and bark type. Urban Forestry e Urban Greening, v. 13, p. 192-197, 2014.

LOCATELLI, M. M; et al. Planejamento de espaços verdes para minimização do escoamento superficial das águas pluviais. Revista LABVERDE V.8 Nº2 – Artigo 04.

LONGHI, R. A. Livro das árvores; árvores e arvoretas do Sul. 2.ed., Porto Alegre: L&PM, 1995, 176p.

MANCUSO, M. A. et. al. Características da taxa de infiltração e densidade do solo em distintos tipos de cobertura de solo em zona urbana. REMOA - V. 14 N.1 (2014) Edição Especial fevereiro, p. 2890 – 2998.

MARQUES, T. P. Subsídios à Recuperação de Formações Florestais Ripárias da Floresta Ombrófila Mista do Estado do Paraná, a Partir do Uso Espécies Fontes de Produtos Florestais Não-madeiráveis. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2007. 244p. Disponível em: .

MATOS, E.; QUEIROZ, L. P. de. Árvores para cidades. Salvador: Ministério Público do Estado da Bahia: Solisluna, 2009. 340 p.

MILANO, M; DALCIN, E. Arborização de Vias Públicas. Rio de Janeiro, Editora Light, ano 2000.

OBADOWISKI, L. et al. Estudo da Redução do Escoamento Superficial Direto em Superfícies Permeáveis. RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos Volume 18 n.2 –Abr/Jun 2013,237-247.

OHNUMA JUNIOR, A. A. Cenários de Reuso de Água Pluvial e Controle da Drenagem Visando a Recuperação Ambiental da Micro-Bacia do Alto Tijuco Preto, São Carlos/SP. Dissertação (Mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental) – Escola de Engenharia de São Carlos – Universidade de São Paulo, 124p. 2005.

OLIVEIRA JUNIOR, J. C.; DIAS, H. C. T. Precipitação efetiva em fragmento secundário da Mata Atlântica. Revista Árvore, v.29, n.1, p.9-15, 2005.

PAZ, A. R. Apostila Hidrologia Aplicada UERGS (2004). Disponível em: .

PHILLIPS, L. E. Urban tree: guide for selection, maintenance and master planning. Ed. McGraw-Hill, 1993.

PINTO, N. L. S. et al. Hidrologia Básica. Editora: Edgard Blucher, ano 1976.

PIVETTA, K. F. L.; SILVA FILHO, D. F. Boletim acadêmico UNESP/FCAV/FUNEP Jaboticabal-SP da Arborização Urbana, 2002.

RIGHETTO M. A. (coordenador). Manejo de Águas Pluviais Urbanas/ Rio de Janeiro: ABES, 2009.

ROSSETTI, A. I. N. et al. As árvores e suas interfaces no ambiente urbano. REVSBAU, Piracicaba – SP, v.5, n.1, p.1-24, 2010.

SARI, V. et. al. Interceptação da chuva em diferentes formações florestais na região sul do Brasil. RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos vol. 21 nº.1 Porto Alegre jan./mar. 2016 p. 65 - 79.

SILVA JÚNIOR, M. C. da; LIMA, R. M. C. 100 Árvores Urbanas – Brasília: guia de campo. Brasília. Editora Rede de Sementes do Cerrado, 2010. 280 p.

SILVA, L. F. et al. Interceptação da chuva por duas espécies arbóreas em áreas verdes urbanas. Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI, Universidade de São Paulo – CERNE (UFLA), v.16, n.4, p.547-555, 2010.

SOUZA, F. C. et al. Desenvolvimento Urbano de Baixo Impacto: Planejamento e Tecnologias Verdes para a Sustentabilidade das Águas Urbanas. RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos. Volume 17 n.2 - Abr/Jun 2012, 9-18.

SOUZA, F. C; TUCCI C. Desenvolvimento urbano de baixo impacto: uma aproximação à sustentabilidade da drenagem urbana. Instituto de Pesquisas Hidráulicas (UFRS), 2005. Disponível em: .

TAVANTI, D. R.; BARBASSA, A. P. Análise dos Desenvolvimentos Urbanos de Baixo Impacto e Convencional. RBRH – Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 17, n.4, p. 17- 28, 2012.

TROWBRIDGE, P. J.; BASSUK, N. L. Trees in Urban Landscapes: site assessment, design and installation. Hoboken: Wiley & Sons, 2004. 207p.

TUCCI, C. 2000. (org.) Hidrologia – ciência e aplicação. Editora da Universidade, ABRH, Porto Alegre.

TUCCI, C.E.M., 1993. Controle de Enchentes, in: Tucci, C. (org). Hidrologia ciência e aplicação. Porto Alegre: Ed. da Universidade: ABRH cap 16, p621-658.: 952p

VACCARO, S.; LONGHI, S.J.; BRENA, D.A. Aspectos da composição florística e categorias sucessionais do estrato arbóreo de três subseres de uma floresta estacional decidual, no Município de Santa Tereza - RS. Ciência Florestal, Santa Maria, v.9, n.1, p.1-18, 1999.

VILELA, E. de A.; et al. Espécies de matas ciliares com potencial para estudos de revegetação no alto Rio Grande, sul de Minas. Revista Árvore, Viçosa, v.17, n.2, p.117-128, 1993.

XIAO, Q. et al. Winter rainfall interception by two mature open-grow trees in Davis, California. Hydrological Processes, Davis, v. 14, p. 763-784, June 2000.

XIAO, Q. et. al. Rainfall interception by Sacramento’s urban forest. Journal of Arboriculture, Davis, v. 24, n. 4, p. 235-244, July 1998.

ZANGARO, W.; et al. Micorriza arbuscular em espécies arbóreas nativas da bacia do Rio Tibagi, Paraná. Cerne, Lavras, v. 8, n. 1, p. 77-87, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INOVAE  -  ISSN 2357-7797