MONITORAMENTO DA CONCENTRAÇÃO DE OXIGÊNIO DISSOLVIDO (OD) EM LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO

ARISTON SILVA MELO JÚNIOR, Gabriel Reginaldo Santos, Gustavo Santos Silva, Robson Camilo Costa Melo, Thalis Almeida Jesus

Resumo


O século XX trouxe como ponto de desafio a engenheiros civis, sanitaristas e ambientais a preservação dos corpos d’água limpos. A escassez de água torna vital a preservação e manutenção das fontes potáveis. Como ponto importante, desde o professor Saturnino Brito aos dias atuais, tratamentos vêm sendo desenvolvidos de modo a garantir o recurso hídrico. O emprego de Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) convencionais nem sempre são usuais e acessíveis a populações carentes. Dessa forma, os denominados Tratamentos Alternativos de Esgoto (TAE) apresentam-se como uma solução importante e necessária para estudos contínuos. Entre alguns dos mais importantes TAE, têm-se as denominadas lagoas de estabilização. Um sistema que utiliza a construção de reservatórios para estabilização do lodo. O projeto de pesquisa desenvolvido visou monitorar e avaliar o nível de eficiência da concentração de oxigênio dissolvido (OD) em uma lagoa de estabilização. No projeto utilizou-se o período de julho a setembro de 2018 para analisar o grau de eficiência em relação à concentração de OD. Dessa forma, a partir da extração de amostras semanais dentro do período de estudo e utilizando a norma NTS 012 foi possível avaliar a concentração média de OD. O valor de concentração de oxigênio dissolvido médio foi de 8,78 mg.L-1. Tal processo mostrou uma melhora na oxigenação do efluente. Um passo importante para o saneamento básico e o meio ambiente.


Palavras-chave


Meio ambiente, Saneamento, Sustentabilidade, Tratamento.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBANO, P. V. Utilização de ácido tricloroisocianúrico (ATCI) na desinfecção de efluente sanitário de lagoa de estabilização: avaliação da formação de trialometanos (TAMs). Dissertação. UNICAMP. Campinas, SP, 2014.

ARAÚJO, L. P. F. Reuso com lagoas de estabilização: Potencialidade no Ceará. 1 ed. Fortaleza, Ceará: Superintendência estadual de meio ambiente, 2000

CAMPOS, J. A. Desinfecção de efluente de lagoa de estabilização com ácido ricloroisocianúrico: Avaliação da inativação de coliformes. Dissertação. UNICAMP. Campinas, SP, 2014.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE (CONAMA). RESOLUÇÃO No 357. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. 17 de março de 2005.

CORAUCCI FILHO, B. et al. Cloração e descloração. In: GONÇALVES, R.F. Desinfecção de efluentes sanitários, Prosab - Edital 3. Rio de Janeiro: ABES, RiMa, 2003. Capítulo 4. p.113-168.

DIAS, D. L. Demanda Bioquímica de Oxigênio. Brasil Escola. Disponível em . Acesso em 13 de outubro de 2018.

FELIZATTO, M. R.; STARLING, F. L. R. M.; SOUZA, M. A. A. Reuso de água em piscicultura: análise da possibilidade de aplicação de efluente de lagoas de estabilização em série. XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. 2013.

NTS 012 – OD: Análise de Oxigênio Dissolvido (OD) – Método Eletrométrico. Norma Técnica Interna SABESP, 2001.

PERÍGOLO, R. A. Avaliação do Emprego de Lagoas de Estabilização em Escala Piloto para Pesquisa de Tratamento de Esgoto Doméstico. Dissertação. UNB. [Distrito Federal] 2004.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIRAPUÃ. Plano de saneamento municipal: água e esgoto. Itirapuã, 2011.

PORTO, R. M. Hidráulica Básica, 2o edição, EESC – USP, 1999.

PIVELI. R. P. QUALIDADE DAS ÁGUAS E POLUIÇÃO: ASPECTOS FÍSICO-QUÍMICOS. Apostila. Curso: OXIGÊNIO DISSOLVIDO E MATÉRIA ORGÂNICA EM ÁGUAS. 2010.

SILVA, D. J. P. Programa de Conservação e Reuso de Água – PCRA. Universidade Federal de Viçosa. Série Sistema de Gestão Ambiental. Viçosa, MG, 2011.

VON SPERLING, M. Princípios do tratamento biológico de águas residuárias: Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 2 ed. Minas Gerais: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, UFMG, 1996. v. 1, 243 p.

YÁNEZ C. F. Lagunas de Estabilización. Cuenca, Ecuador: Monsalve,


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INOVAE  -  ISSN 2357-7797